ASSINE
  1. Cohab sorteia no próximo dia 22 3,7 mil moradias


    Sorteio pode ser acompanhado pelos 51 mil inscritos pela TV, rádio e internet

    13/09/2012 - 11h33 .
    Bruna Mozer    

    O secretário Clélio Leme: entidades vão acompanhar o processo
    (Foto: Carlos Souza Ramos/02jun2012/AAN)

    No próximo dia 22, 51 mil pessoas cadastradas na Companhia de Habitação Popular de Campinas (Cohab) participarão de sorteio para entrega de 3,7 mil moradias do programa Minha Casa, Minha Vida, do governo federal. 

    Por causa da grande quantidade de pessoas inscritas no processo, a Cohab realizará o sorteio na Câmara Municipal, com transmissão ao vivo pela internet, TV Câmara e pela Rádio Educativa. Dessa forma, as famílias poderão acompanhar o resultado por esses veículos e não precisarão ir ao local. 

    O secretário de Habitação, Clélio Leme, disse que a pasta chegou a cogitar a possibilidade de o sorteio ser realizado nos estádios da Ponte Preta ou do Guarani. “Mas, para isso, teria de ser disponibilizada uma grande estrutura, seria muito mais difícil”, disse. 

    Ontem, representantes da secretaria participaram de audiência na Câmara onde explicaram como funcionará o processo. Para garantir segurança e transparência, a Cohab convocou representantes de entidades de classe como a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Ministério Público (MP), Ministério das Cidades, Caixa Econômica Federal (CEF) e Associação Brasileira de Cohabs. Eles pedem que sejam chamados um cadastrado de cada região para representar a população. 

    O número alto de pessoas que poderão ser beneficiadas com a casa própria ocorre porque essas moradias serão destinadas a todos os cadastrados na Cohab com renda familiar de até R$ 1,6 mil, e não somente àqueles que vivem em áreas de risco. Para essas famílias, que moram em áreas irregulares ou à beira de córregos, por exemplo, já foram destinadas outras 3,6 mil unidades. 

    Com as entregas, a Prefeitura de Campinas fechará o ano com 7,4 mil casas populares. Embora o número esteja acima do estimado, mais de 40 mil famílias permanecerão sem a casa própria. Leme admitiu o déficit e afirmou que, na semana que vem, deverá ir a Brasília apresentar novo projeto habitacional e pleitear recursos para Campinas.